Quanto custa um parto particular? Descubra aqui!

Você sabe quanto custa um parto particular? Segundo a AMB (Associação Médica Brasileira), pode custar em média 15 mil reais! Mas o que compõe esse gasto? Descubra aqui!

A chegada do bebê é sempre o momento mais importante para as mamães, que buscam torná-lo inesquecível. Para isso, muitos preparativos são feitos e decisões são tomadas, como o enxoval do bebê, se será parto normal ou cesária, a escolha da maternidade, o que levar para a maternidade, e tantos outros.

E uma dúvida que sempre surge para as mamães que optam pelo parto particular, é: “Quanto custa um parto particular?”. Para responder essa pergunta, trouxemos aqui a média de custo, e tudo o que o compõe. Confira!

Mãe segurando o seu filho recém-nascido no colo - Quanto custa um parto particular?.

O momento do parto é um momento único, e é muito importante planejar ele com muita atenção e cuidado. Para começar, você sabe quanto custa um parto particular? Veja abaixo.

Quanto custa um parto particular?

O preço é, sem dúvidas, uma das maiores dores de cabeça das mamães que desejam ter o seu bebê através de um meio particular. E a dica é, se programe!

De acordo com a Associação Médica Brasileira (AMB), o custo de um parto particular é em torno de R$ 15 mil reais - incluindo o obstetra, um auxiliar e/ou um instrumentador, um anestesista, um pediatra e UTI neonatal.

Mas esse valor é apenas uma base. O aconselhável é que você faça um Plano de Parto, relacionando tudo o que o seu parto deverá conter, que geralmente são muitas coisas, e pesquise os seus preços. E dependendo de suas escolhas, pode deixá-lo mais em conta, ou mais caro.

Essa média de valor considerada pela AMB, é devido a uma série de fatores e custos que o parto pode englobar. Entenda quais são eles:

Quais são os custos que tem um parto particular?

É nessas horas que o seu bolso pode pesar, pois são inúmeros os fatores que estão inclusos em um parto particular e que fazem bastante diferença na hora do parto.

Dentre esses fatores, listamos aqui alguns dos mais importantes, que são: o tipo de parto (normal ou cesárea), anestesia, custos com o hospital ou maternidade, disponibilidade do médico obstetra, pediatria, doula, além dos imprevistos.

Entenda como cada um deles funcionam:

1. Tipo de Parto

O tipo de parto deve ser uma decisão da mulher, que deve analisar qual tipo ela deseja, quais são os benefícios e qual é o melhor para ela segundo a avaliação do seu obstetra durante o pré-natal.

Para ajudar na sua escolha, trouxemos aqui algumas definições dos dois tipos de partos que podem ser realizados. Veja:

  • Parto Normal

O parto normal é o parto vaginal, que ocorre com pequenas intervenções médicas, como o uso de anestesia e medicação, mas nada semelhante a cesária.

Semelhante a ele, tem também o parto natural, a única diferença entre eles é que no parto natural não é feito nenhuma intervenção médica, é utilizado somente métodos naturais, como massagem para aliviar a dor e banho de água quente.

Há algumas maternidades que incentivam muito o parto normal, tendo espaços feitos para proporcionar a melhor experiência, um exemplo é a Maternidade Pro Matre Paulista.

  • Parto Cesariano

Você sabia que o Brasil é o segundo país do mundo que mais tem partos feitos por cesária? Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 55,5% dos partos realizados no Brasil são cesáreas, ficando atrás apenas da República Dominicana, com 58,1%.

Tem muitas mamães que optam pela cesárea, seja por escolha própria, avaliação do médico obstetra ou ao mudar de ideia na hora do parto. Portanto, é sempre indicado pelos especialistas, estar preparada para tudo. Pois, quando se fala de nascimento, podem ocorrer mudanças de planos.

2. Anestesia

A anestesia pode ser usada tanto no parto normal, como na cesária. Portanto, é importante levá-la em consideração no preço do parto. Lembrando que o preço é composto tanto pela a anestesia, quanto pelo profissional que a aplica, o anestesista.

3. Custos com o Hospital ou Maternidade

Ao escolher o hospital ou maternidade que irá ter o seu bebê, há uma série de custos que vem junto e devem ser levados em consideração. Veja quais são eles:

  • Acomodação - enfermaria ou apartamento, estrutura do quarto;
  • Sala de parto - há instituições que oferecem banheira descartável à disposição, aromaterapia, cromoterapia, banco de parto, entre outras coisas;
  • Infraestrutura para atendimento - equipe médica, equipamentos, UTI Neonatal e UTI Adulta.

Lembrando que, geralmente, após ter o bebê, a paciente deverá ficar internada ao menos 24 horas em partos normais, e 48 horas em partos cesários. Mas isso é o mínimo, pode se prolongar.

4. Disponibilidade do médico

Sim, a disponibilidade do médico também está inclusa nessa conta! Isso porque, algumas mamães podem desejar agendar a sua cesária ou acabar tendo o seu bebê por parto normal durante um momento em que o médico não esteja no local.

Caso isso aconteça, geralmente é cobrado uma taxa entre R$ 4 mil e R$ 7 mil, tanto em partos particulares, como naqueles que são cobertos por planos de saúde. Mas, caso o médico esteja disponível no momento, essa taxa não é cobrada.

5. Pediatria

E para cuidar do bebê, é necessário ter um pediatra na hora do parto, para fazer os primeiros exames do recém-nascido e acompanhá-lo durante as suas primeiras horas de vida, para garantir que esteja tudo bem. Portanto, o profissional também entra para a conta.

6. Doula

As doulas são assistentes de parto que acompanham a gestante durante todo o processo de pré-natal até o pós-natal. Além disso, são responsáveis por orientar as mamães, prepará-las psicologicamente para o parto, dar o apoio emocional necessário, e o amparo no principal dia.

Não é obrigatório ter uma doula do seu lado, mas elas estão sendo cada vez mais requisitadas devido a todo o apoio que oferecem neste momento. O valor cobrado por uma doula pode variar de região para região, mas custam em média de R$ 1 mil e R$ 2 mil.

7. Imprevistos

O último ponto a se considerar, mas não menos importante, são os imprevistos que podem surgir no meio do caminho e encarecer o valor. Afinal, como falamos, quando se trata de nascimento, podem ocorrer algumas mudanças de planos. Por isso, a dica é, esteja sempre preparada para imprevistos, se programe para tudo!

Esses são os principais fatores que estão inclusos no custo de um parto particular! E se caso você estiver pensando como isso ficaria em um plano de saúde, confere aqui.

Os planos de saúde cobrem partos?

Em geral, os planos de saúde que contemplem serviços obstétricos obrigatoriamente devem cobrir os partos, seja ele natural ou cesáreo, e todos os demais gastos derivados dele, no pré-parto, parto e pós-parto.

A maioria dos planos possui uma carência de 300 dias, para cobrir tudo, sem custos a mais. Entretanto, há exceções em alguns planos de saúde, principalmente na modalidade empresarial, que podem ter uma carência menor, ou não possuir. É uma boa entrar em contato com o seu plano e se informar sobre a carência.

Outra vantagem também do plano de saúde com serviços obstétricos, é que o bebê poderá ser atendido pelo seu plano de saúde nos primeiros 30 dias de vida, sem custos a mais.

E se está procurando um plano de saúde, nós aqui no Joov oferecemos planos de saúde sem fidelidade que comportam serviços obstétricos, incluindo consultas e exames médicos, internação, partos normais ou cesáreas e todos os custos derivados dele!

Faça uma cotação conosco, e escolha o plano ideal para você :)